Saiba como investir no Tesouro Direto

O investimento no Tesouro Direto é uma maneira simples de garantir rentabilidade com segurança. Veja como aplicar aqui!
investimento
investimento

Quem tem uma conta pessoal pode ter a opção de realizar um investimento no Tesouro Direto. Basta o cliente verificar se a sua agência bancária oferece a modalidade de aplicação específica para começar. Confira aqui neste artigo tudo sobre investimento em Tesouro Direto e veja o passo a passo para ver o seu dinheiro render sem dificuldades.

investimento
investimento

Apesar de parecer complicado a princípio, o investimento no Tesouro Direto é considerado uma opção simplificada para os investidores atualmente. Além disso, a aplicação é uma das mais seguras do mercado financeiro, sendo uma ótima alternativa para quem deseja ter o dinheiro rendendo mais do que a poupança.

É possível começar aplicando na modalidade com um valor baixo, portanto o tipo de investimento é acessível para a maior parte da população investidora. Antes de mais nada, é importante conhecer as categorias da aplicação para descobrir qual é a mais vantajosa para cada caso. Entenda tudo sobre investimento no Tesouro Direto com os tópicos a seguir.

O que é Tesouro Direto?

De forma geral, o Tesouro Direto pode ser entendido como uma iniciativa do Governo Federal para a compra e venda de títulos públicos por pessoas físicas na internet. Com isso, indivíduos que possuem uma conta bancária podem fazer um tipo de empréstimo para o Tesouro Direto e o dinheiro retorna para o investidor com o acréscimo dos juros.

A modalidade de investimento tem títulos com variadas opções de rentabilidade. Por exemplo: prefixada, atrelada ao valor inflação ou ao número da taxa de juros básica da economia (Selic). Cada uma tem seu próprio prazo de vencimento, assim como variados tipos de remuneração. Outra vantagem está na boa rentabilidade adquirida, além da liquidez diária.

O melhor de tudo é que o investidor poderá aplicar no Tesouro Direto no conforto de casa. O procedimento é 100% digital, disponível pelo site oficial ou pelo aplicativo no celular. Após o investimento, é possível acompanhar a aplicação e resgatar o dinheiro a qualquer momento. Tanto a plataforma quanto o contrato contam com a segurança do Tesouro Nacional.

Categorias de investimento no Tesouro Direto

Existem três formas de aplicar no Tesouro Direto. A flexibilidade de escolha costuma ser vantajosa para atender mais perfis de investidores, cada um com seu próprio objetivo pessoal. Conheça bem os prazos, a rentabilidade e o funcionamento de cada uma para escolher a mais viável e completa para você.

Tesouro prefixado

Com o investimento no Tesouro prefixado os títulos contam com uma taxa de juros fixa. Isso significa que o valor total já é informado no momento da aplicação. Proporcionando mais segurança ao investidor, pode ser uma boa opção para quem tem metas de médio e longo prazo. Essa é a considerada a modalidade mais simples do Tesouro Direto.

Tesouro IPCA

A categoria IPCA está relacionada ao valor da inflação e é a mais vendida pelo programa. Com isso, a porcentagem é chamada de híbrida pelos especialistas pois é definida parcialmente por uma taxa fixa e outra variável. Assim, os títulos de investimento no IPCA apresentam rendimento igual à variação da inflação somada a uma taxa prefixada de juros, resultando sempre em um valor maior do que a inflação.

Tesouro Selic

Na terceira modalidade de investimento no Tesouro Direto, é a taxa Selic (taxa básica de juros da economia) que define a rentabilidade do Tesouro Selic. Essa categoria é uma das mais flexíveis do Governo, apresentando poucos riscos e garantia positiva de rentabilidade. De acordo com especialistas, esse é o investimento ideal para quem está começando.

Passo a passo para começar a investir no Tesouro Direto

investimento
investimento

Em primeiro lugar, quem deseja aplicar um investimento no Tesouro Direto deve ter uma conta pessoal em algum banco habilitados no programa do Governo. É possível verificar as instituições financeiras cadastradas por meio deste link. Depois, será necessário solicitar ao banco um cadastro no Tesouro Nacional para acessar o Portal do Investidor.

Com o login e a senha atualizados, o usuário está apto para começar um investimento no Tesouro Direto. No site oficial você deverá seguir os passos: clique na opção “Investir e Resgatar”; entre no menu “Investir”; verifique os títulos à disposição e selecione a opção desejada; preencha com o valor que irá investir e clique em continuar; veja o investimento com atenção e confirme sua aplicação; aguarde a confirmação no seu e-mail.

Não é necessário escolher apenas um título. O investimento no Tesouro Direto pode ter múltiplas aplicações ao mesmo tempo, basta que o investidor faça o procedimento em quantos títulos quiser. O investimento pode ser feito também na plataforma da instituição financeira ou no aplicativo para smartphones do Tesouro Direto.

Taxas do investimento no Tesouro Direto

Apesar das grandes vantagens encontradas, é importante informar que existem algumas tarifas que devem ser pagas para investir no Tesouro Direto. São elas: taxa de custódia: 0,25% sobre o valor do título; taxas de serviços: cobradas pelas instituições financeiras; Imposto de Renda: varia entre 15% a 22,5%.


A aplicação demonstra ser uma ótima forma de obter segurança com uma boa rentabilidade. Agora que você já entendeu tudo sobre investimento no Tesouro Direto pode começar a sua compra dos títulos! Ou então, conheça mais sobre outros tipos de investimentos aqui no blog da Click Finanças e compare suas opções.