É hora de fugir dos juros rotativo do cartão de crédito!

O juros rotativo do cartão de crédito é algo que tira o sono de muitas pessoas. Quer saber como evitar cair nessa cilada? Nós vamos te contar os detalhes do que precisa fazer!
juros rotativo
juros rotativo

No ano passado, o Banco Central (BC) informou que a taxa de juros rotativo do cartão de crédito chegou a mais de 310% ao ano. Esse é um valor médio que pode variar entre as instituições, pois tudo depende do que o banco tem acordado com o cliente. Ainda assim, podemos dizer que o valor é altíssimo, afinal, ninguém fica animado em ter que pagar tarifas tão altas para poder desfrutar de um meio de pagamento.

juros rotativo

O problema não para por aí, muitas pessoas nem entendem o que estão pagando ou ficam revoltadas ao descobrir que contratam um serviço com taxas tão altas. Independente de este ser o seu caso ou não, queremos ressaltar que o cartão de crédito realmente pode ser uma ótima ferramenta, inclusive, nos salva em várias situações.

Mas, também é importante entender a fundo como funcionam os juros rotativo do cartão de crédito. Assim, aprenderá a evitar as surpresinhas quando não conseguir pagar toda a fatura. Para não perder nenhuma de nossas dicas, é importante que nos acompanhe até o final da leitura, ok? Vamos começar!

Afinal, o que é crédito rotativo?

O crédito rotativo é um serviço oferecido aos clientes que não conseguem pagar o valor total do cartão de crédito. Ou seja, quando você paga menos do que deveria (independente de quanto), o saldo é cobrado na fatura do mês seguinte, e com ele chega os juros rotativo.

Qual é o valor do juros rotativo do cartão de crédito?

Então, como mencionamos no começo do artigo, este é um valor que pode variar de uma instituição para a outra. Por exemplo, em outubro de 2020, o valor chegou a 309,9% ao ano (segundo o Banco Central). Isso quer dizer que independente de qual seja o Banco, pagar pelo juros rotativo não sairá baratinho.

Vamos te dar um exemplo para que entenda a dimensão do problema. Suponhamos que o valor da fatura do seu cartão seja de R$ 1.000,00 mas você só pode pagar R$ 600,00. Neste caso, o saldo devedor na próximo mês será de R$ 400,00. Pensando que a taxa de juros rotativo seja 310% ano ano, será necessário pagar 25,83% por mês. Em outras palavras, por não fazer o pagamento total, precisará desembolsar em torno de R$ 503,32 pelo o valor que ficou em aberto.

Neste exemplo, não demos um valor total porque nessa conta ainda é preciso incluir fatores como a porcentagem do IOF, então, é bem provável que a dívida seja maior. Um absurdo, não acha?! Pois é, por isso é importante conhecer os meios para evitar cair nessa situação. Não se preocupe, logo logo vamos falar a respeito disso.

Mudanças na cobrança de juros rotativo

Até 2017, os bancos e as instituições financeiras podiam oferecer crédito rotativo ilimitado para os clientes. Com isso, a pessoa entrava no rotativo e se não conseguia pagar a dívida no próximo mês, virava uma bola de neve. Para diminuir o endividamento, o governo decidiu mudar as regras. Agora, o crédito rotativo pode ser usado no máximo por 30 dias.

E se o pagamento não for feito no mês seguinte? Neste caso, a empresa precisa passar a dívida para alguma opção que seja mais vantajosa para o cliente, que geralmente é o crédito parcelado, com juros menores. Apesar disso, ainda assim será necessário pagar pelas taxas, então, o cenário ideal é tentar não pagar nenhum tipo de acréscimo. Como fazer isso? Conheça algumas dicas que poderão te ajudar.

Dicas para evitar cair no juros rotativo do cartão de crédito

juros rotativo

Nós queremos te ajudar a controlar suas finanças, por isso fizemos uma seleção de orientações que vão te auxiliar nessa jornada. Então, pegue papel e caneta ou use um dispositivo eletrônico e se prepare para anotar as nossas dicas e evitar problemas. Vamos lá:

1- Planeje o que vai comprar

Gastar impulsivamente é um dos fatores de maior risco para cair no juros rotativo do cartão de crédito. Utilizar este meio de pagamento nem sempre é a melhor opção para todas as compras, por isso é importante ter consciência do quanto e do que está gastando.

Algo que pode ser de ajuda para cumprir essa tarefa é estabelecer um limite para uso. Por exemplo, você pode analisar e decidir o quanto quer que sua renda fique comprometida com o cartão de crédito. Não se esqueça, imprevistos acontecem e pode ser que precise do cartão livre.

2 – Pense antes de parcelar

O parcelamento tem as suas vantagens e desvantagens. Por um lado, ajuda a evitar que a fatura do mês seguinte seja mais alta. Porém, também significa que passará mais tempo pagando a compra, o que pode chegar a causar problemas do mesmo jeito. Dizemos isso porque também existem tarefas aplicadas ao parcelamento. Dessa forma, nossa recomendação é: faça um controle financeiro, esse tipo de ferramenta te ajudará a decidir quando é mais apropriado parcelar uma compra.

3 – Esteja atento a data de vencimento

Esquecer de pagar a fatura dentro do prazo também é uma cilada que vai te fazer cair no juros rotativo. Por isso, é muito importante definir a data de vencimento com base em quando no mês você tem dinheiro para fazer o pagamento sem nenhum atraso. Se possível, utilize o débito automático.

Sabemos que manter a vida financeira equilibrada nem sempre é fácil, exige disciplina e paciência. Além disso, é fundamental buscar conhecimento, qualquer tipo de ajuda é válida para evitar pagar juros rotativo do cartão de crédito ou qualquer outro produto financeiro. Conte com a gente pra isso, é só continuar navegando em nossa página, que sempre poderá desfrutar das nossas dicas.